Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Últimos assuntos
» Duvidas, Sou Nova Aqui!
Qua Dez 09, 2015 8:13 am por Vanessa

» Pedido de informação
Ter Dez 08, 2015 5:46 am por Vanessa

» CHOW CHOW EM APARTAMENTO
Ter Dez 08, 2015 5:45 am por Vanessa

» Padrão da Raça
Ter Dez 08, 2015 5:35 am por Vanessa

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Patrocinadores
www.maiapet.com - tudo para o seu animal de estimação!!!

Husky Siberiano

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Husky Siberiano

Mensagem por Alexandremqs em Sab Fev 27, 2010 2:27 pm



A história do aparecimento Husky Siberiano é interessante porque ilustra parcialmente como a relação (de utilidade) estabelecida entre o homem e o cão pode ser baseada no respeito pela raça. Há mais de 2500 anos atrás o nordeste asiático era povoado por uma comunidade indígena denominada Chukchi. Exposta a um dos climas mais inóspitos do mundo, a sobrevivência era assegurada com a ajuda de grupos de Huskies que puxavam os trenós do seu dono percorrendo longas distâncias, levando os seus donos aos locais onde pudessem pescar. Por serem de pequeno porte e relativamente leves, tornaram-se rápidos e gastavam muito pouca energia. Esta característica foi muito importante, já que o pequeno consumo de energia permitia-lhes superar as temperaturas extremamente baixas do Inverno siberiano que atinge facilmente os 60 graus negativos!

Daqui decorre que no seio daquela comunidade, o respeito pela raça fosse visível, não só na dimensão religiosa, mas também económica. Isto porque a iconografia da fé representava muitas vezes estes bravos e pequenos cães. Os melhores exemplares desta raça eram possuídos pelos mais ricos da sociedade que ganhavam prestígio nessa aquisição.A pureza da raça parece ter sido mantida pelos Chukchi durante todo o século XIV e são estes os verdadeiros ancestrais do actualmente conhecido Husky Siberiano.

Foi com a corrida ao ouro no Alasca, que as suas capacidades foram reconhecidas. Naquela época, os trenós puxados por cães consistiam na única rede de transportes existente e a competição entre equipas tornou-se frequente.

A introdução da raça nos EUA fica a dever-se a Leonard Seppala que consegue que, em 1930, a raça seja reconhecida pelo Kennel Club americano. Oito anos depois, é fundado o primeiro clube da estirpe em território americano.Durante a II Guerra Mundial, a raça destaca-se pelo trabalho desempenhado na busca e resgate.Actualmente, este cão é respeitado a nível mundial, sendo representado por mais de vinte clubes que protegem a sua criação.

Fonte do texto http://arcadenoe.sapo.pt/raca/husky_siberiano/33


Aparência geral: O husky siberiano é um cão de trabalho, de porte médio; rápido e ligeiro. O seu movimento é fluente e gracioso. Seu corpo moderadamente compacto com pelagem densa; as orelhas erectas e a cauda em pincel revelam sua herança nórdica. Seu andar característico é suave e aparentemente sem nenhum esforço. Sua performance original, de cão de trenó, é muito eficiente, transportando cargas leves a uma velocidade moderada, atravessa grandes distâncias.
As proporções e as formas de seu corpo reflectem esse equilíbrio básico de força, velocidade e resistência. Os machos da raça husky siberiano são bem masculinos, mas nunca grosseiros; as fêmeas, bem femininas, porém, sem demonstrar fragilidade em sua estrutura. Em condições ideais, com sua musculatura firme e bem desenvolvida, o husky siberiano não deve parecer pesado.


Proporções importantes:
De perfil, o comprimento do corpo, da ponta dos ombros até a ponta da garupa, é ligeiramente maior que a altura na cernelha.
A distância da ponta do nariz ao stop é igual à distância do stop ao occipital.

Temperamento: O temperamento característico do husky siberiano é amigável, gentil, mas também atento e expansivo. Não demonstra as qualidades possessivas de um cão de guarda, nem se mostra desconfiado com estranhos ou agressivo com outros cães. Algumas atitudes de reserva e dignidade podem ser esperadas de um cão adulto. A sua inteligência, simpatia e disposição tornam-no um companheiro agradável e um cão sempre disposto ao trabalho.


Crânio: De tamanho médio e proporcional ao corpo; ligeiramente arredondado no topo e afilando gradualmente desde seu ponto mais largo em direcção aos olhos.

Stop: Bem definido.

Trufa: Preta nos exemplares de cor cinza, castanhos ou pretos; fígado nos cães de cor cobre; pode ser de cor de carne em cães branco puro. O “nariz de neve” é também aceite.

Focinho: De tamanho médio e de largura média, afilando gradualmente para a trufa, sem ser pontudo ou quadrado. A cana nasal é recta do stop à ponta do nariz.

Lábios: Bem pigmentados e ajustados.

Dentes: Mordedura em tesoura

Olhos: Amendoados, moderadamente afastados e sutilmente oblíquos. A cor dos olhos pode ser marrom ou azul; aceitam-se os olhos de cores diferentes ou um olho particolorido. A expressão é penetrante, porém amigável, interessada e até um pouco
maliciosa.

Orelhas: Tamanho médio, triangulares, de inserção alta e próximas. São espessas e bem revestidas de pêlos, levemente arqueadas em sua parte posterior e rigidamente empinadas, com as pontas ligeiramente arredondadas.

Pescoço: De comprimento médio e erguido orgulhosamente, quando o cão está em stay. No trote, o pescoço estende-se de maneira que a cabeça seja colocada ligeiramente para a frente.

Dorso: Recto e forte, com a linha superior nivelada desde a cernelha até a garupa. De comprimento médio, sem ser curto ou excessivamente longo.

Lombo: É tendido e seco, mais estreito que o tórax e, no ventre, é ligeiramente esgalgado.

Garupa: Está inclinada em relação à coluna vertebral, porém, nunca tão inclinada a ponto de comprometer a propulsão dos posteriores.

Peito: Profundo e forte, sem ser muito largo; seu ponto mais baixo situa-se logo atrás e no nível dos cotovelos. Costelas bem arqueadas, desde a espinha dorsal, porém, achatando-se nos flancos, de modo a proporcionar liberdade de movimento.

Cauda: Bem revestida, com a forma da cauda da raposa, e inserida logo abaixo do nível da linha superior. Usualmente levada acima da linha do dorso, fazendo uma graciosa curva em foice, quando o cão está em atenção, sem enrolar para os lados,
nem achatar-se sobre o dorso. Em repouso, o normal é a cauda ficar caída. Pêlos, de comprimento médio, aproximadamente, do mesmo tamanho em todas as direcções, conferindo o aspecto de uma escova redonda.

Membros anteriores: Vistos de frente, em stay, os membros são moderadamente afastados, paralelos e retos A ossatura é substanciosa, sem ser pesada. O comprimento do membro, do cotovelo ao solo, é ligeiramente maior que a distância do cotovelo à cernelha.

Ombros: a escápula é bem angulada. O braço é ligeiramente oblíquo para trás, desde a ponta do ombro até o cotovelo, e nunca é perpendicular ao solo. Os músculos e os ligamentos que seguram os ombros no tórax são firmes e bem desenvolvidos.

Cotovelos: rentes ao corpo e não virando nem para dentro, nem para fora.

Articulação do carpo: forte e flexível.

Metacarpos: Vistos de perfil, estão ligeiramente inclinados.

Posteriores: Vistos por trás e em “stay”, os membros são paralelos e moderadamente afastados. As coxas são bem musculosas e poderosas; joelhos bem angulados; jarretes curtos com articulações bem definidas.

Patas: De tamanho médio; ovais, sem serem longas; compactas e bem revestidas de pêlos entre os dedos e almofadas plantares. As almofadas são bem acolchoadas com a sola resistente. Em “stay”, as patas ficam corretamente direcionadas para a frente.

Movimentação: A movimentação característica do husky siberiano é suave e aparentemente sem esforço. É rápida e ligeira sobre suas patas. Quando apresentado em exposições, deverá sempre ser de guia solta. Mostra um trote moderadamente rápido, exibindo assim um bom alcance nos anteriores e boa propulsão nos posteriores. Quando visto de frente e de trás, enquanto caminha, o husky siberiano não converge os membros numa trilha única (single tracking), mas à medida que a velocidade aumenta, os membros convergem gradualmente até que as almofadas plantares pisem sobre uma linha directamente abaixo do centro longitudinal do corpo. Conforme as pegadas convergem, os anteriores e os posteriores movimentam-se para a frente sem que nem os cotovelos, nem os joelhos virem para dentro ou para fora. Cada membro posterior se move para alcançar a pegada do anterior do mesmo lado. Enquanto o cão está em movimento, a linha superior permanece firme e nivelada.

Pelagem: A pelagem do husky siberiano é dupla, de comprimento médio e de aparência bem peluda, mas nunca tão longa a ponto de esconder as linhas bem definidas do cão. O subpêlo é macio e denso, de comprimento suficiente para suportar a pelagem de cobertura. Os pêlos de cobertura são rectos e suavemente assentados, mas nunca ásperos ou eriçados. Deve-se notar que a ausência de subpêlos durante a época da muda é normal. É permitido aparar os bigodes e os tufos entre os dedos e ao redor das patas para exibir um aspecto mais limpo. Em qualquer outra parte do cão, a tosquia ou corte do pêlo à tesoura não deve ser tolerada, devendo ser severamente penalizada.

Cor: Todas as cores são permitidas, desde o preto até o branco puro. É comum uma variedade de marcações na cabeça, incluindo muitas combinações não encontradas em outras raças.

Tamanho:
Machos, 53,5 cm a 60 cm.
Fêmeas, 50,5 cm a 56 cm.

Peso:
Machos 20,5 kg a 28 kg. Fêmeas 15,5 Kg a 23 kg.

O peso é proporcional à altura. As medidas mencionadas acima representam os limites extremos de altura e peso, sem dar preferência a nenhum dos extremos. Qualquer aparência de excessiva ossatura ou peso deve ser penalizada.




Resumo: As características mais importantes do husky siberiano são o seu tamanho médio, ossatura moderada, proporções bem balanceadas, movimentação livre e fácil, pelagem apropriada, cabeça e orelhas agradáveis, cauda correcta e boa disposição. Qualquer excesso de ossatura ou peso, movimento restrito ou desajeitado, pelagem longa e áspera devem ser penalizados. O Husky Siberiano nunca tem um aspecto tão pesado ou grosseiro a ponto de sugerir um animal de carga, nem tão leve e frágil, sugerindo um animal de corrida. Em ambos os sexos, o husky siberiano revela grande resistência. Acrescentam-se às faltas já mencionadas as faltas estruturais comuns a todas as raças que são indesejáveis no husky siberiano como em qualquer outra raça, embora não sejam especificamente mencionadas neste estalão.

Faltas: Qualquer desvio dos termos deste estalão deve ser considerado como falta e penalizado na exacta proporção de sua gravidade.

Crânio: Cabeça grosseira ou pesada; cabeça muito cinzelada.

Stop: Insuficiente.

Focinho: Muito pontudo ou grosseiro; ou muito curto ou longo.

Maxilares/Dentes: Qualquer mordedura que não seja em tesoura.

Olhos: De inserção oblíqua ou muito próximos.

Orelhas: Muito grandes em proporção à cabeça; muito separadas; insuficientemente erectas.

Pescoço: Muito curto e grosso; pescoço muito longo.

Dorso: Frágil ou selado; dorso carpeado; linha superior inclinada.

Peito: Muito largo; costelas em barril, sem curvatura ou fracas.

Cauda: Quebrada ou enrolada; excessivamente emplumada; de inserção muito alta ou baixa.

Ombros: Rectos ou soltos.

Anteriores: Metacarpos fracos; ossos muito pesados, muito estreitos ou separados na frente; cotovelos soltos.

Posteriores: Joelhos retos; jarretes de vaca; posteriores muito fechados ou abertos.

Patas: Fracas ou espalmadas; dedos desviados para dentro ou para fora; patas muito grandes e grosseiras, muito pequenas e delicadas.

Movimentação: Passada curta, saltitante ou arritmada; bamboleante; movimento cruzado ou movimentação de caranguejo.

Pelagem: Longa, áspera ou felpuda; textura muito áspera ou sedosa; trimming na pelagem, excepto nas regiões permitidas.


Faltas eliminatórias:
Machos, acima de 60 cm e fêmeas, acima de 56 cm.

Notas:
Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.
Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

http://www.azuljasmim.info/Forum2009/index.php?topic=2551.0;wap2


São muito carinhosos e atenciosos, entretanto precisam gastar suas energias para que não se tornem problemas para seu dono. Eles precisam de espaço e atenção.

O husky siberiano é muito brincalhão. Por esse motivo, este cão é recomendado para as crianças com cinco anos em diante. Crianças com menos de quatro anos podem não ter domínio sobre o cão, pois ele também é dotado de uma grande força.

Normalmente completamente dócil e aficionado com as pessoas, os siberianos possuem um forte instinto de caçador e podem matar gatos, coelhos, galinhas, pássaros e outros pequenos animais (o que nem sempre acontece). Devem ser mantidos em cercados seguros pois frequentemente desaparecem em longas viagens para caçar. Não se deve permitir passearem sozinhos ou sem coleira. Eles são treináveis até um certo grau, mas paciência é necessária. São naturalmente independentes e não vão obedecer cegamente a todos os comandos.


Não tendem a comportamento agressivo ante outros cães, mas se atacados lutam ferozmente.

Os Huskys são também cães de trabalho desenvolvidos para puxar trenós. Por esse motivo, é bom fazê-lo puxar de vez em quando de 6 a 11 quilos.


Fonte http://pt.wikipedia.org/wiki/Husky_siberiano


Saúde

Os Huskies Siberianos são normalmente cães saudáveis, vivendo tipicamente de 11 a 15 anos de idade. Problemas de saúde na raça incluem transtornos nos olhos (catarata, glaucoma, e distrofia corneal, entre outras), alergias, e câncer em animais mais velhos. Displasia na bacia pode ocorrer mas não é um problema freqüente na raça. Esta raça precisa de uma dieta de alta qualidade com muita proteína e gordura, principalmente se for usada para o trabalho (como puxar trenós). É dito que os huskies são os cães com mais "eficiência em combustível", já que consomem menos comida que outras raças de trabalho de tamanho similar e nível de actividade. A dieta precisa ser ajustada para o seu nível de trabalho e exercício; caso contrário, pode ocorrer obesidade em cães não exercitados e muito alimentados. Doença que deve-se ter cuidado é a erlichia, transmitida pelo carrapato.

Cuidados

O husky é um cão muito peludo, mas fácil de cuidar. Não precisará de banhos frequentes, tosa, nem muitas escavações. Ele cultiva o hábito de lamber o pêlo e tem pouco cheiro. Na época da muda, que ocorre no máximo duas vezes ao ano, o pêlo cai muito, e isso vai exigir que ele seja escovado diariamente. A raça é também bastante saudável e os problemas mais comuns estão relacionados à visão (catarata, glaucoma, atrofia progressiva da retina).

Fonte http://pt.wikipedia.org/wiki/Husky_siberiano


Apesar de suas origens nórdicas, e ao contrário do que se crê, huskies podem viver sem maiores problemas em qualquer zona climática, porém é necessário tomar alguns cuidados especiais quando faz calor excessivo, como prover-lhes bastante água e um lugar fresco e sombreado para descansar.

Por outro lado, estes cães parecem ter um verdadeiro prazer em estar em meio a temperaturas baixas, e buscam o ar livre com afinco especial quando faz frio. Ainda assim, donos em potencial de huskies poder tranquilizar-se que climas subtropicais, como do sul do Brasil, ou de Portugal (clima mediterrâneo), são perfeitamente adequados à sua criação.

Fonte http://pt.wikipedia.org/wiki/Husky_siberiano
avatar
Alexandremqs
Chowzinho
Chowzinho

Idade : 25
Localização : Lisboa
Data de inscrição : 07/11/2009

http://huskysiberian.blogs.sapo.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum